Falta de espaço, corredores lotados, avarias nas mercadorias movimentadas, inventário desbalanceado e atrasos no carregamento, são muitos os problemas que gestores de armazéns e centros de distribuição são obrigados a enfrentar no dia a dia. Garantir o perfeito funcionamento de entrada e saída de mercadorias é um trabalho bastante complexo e, por isso, é importante contar com um sistema que integra e automatiza esse processo. O WMS, ou Sistema de Gestão de Armazéns, é um sistema desenvolvido exatamente com essa finalidade.

A ferramenta surgiu para aperfeiçoar a operação logística dentro dos armazéns, visando a total rastreabilidade das mercadorias em todas as suas movimentações, do momento de seu recebimento até a sua expedição.

Diferentemente dos sistemas de gerenciamento de estoque tradicionais, que são focados no controle contábil da mercadoria, o WMS é voltado para as operações logísticas, controlando a parte física do estoque.

Uma de suas funções é a rastreabilidade. O Sistema de gestão de armazéns atribui um código único para cada um dos itens assim que eles entram em estoque, podendo ser no momento do recebimento ou da produção. Esse código reúne todas as informações da unidade de armazenamento do produto (seja ela caixa ou pallet), assim como o lote, a data de validade, o pedido de compra ou ordem de produção, o conferente e o fornecedor. Através desse código, é possível acompanhar todas as movimentações, incluindo a armazenagem, a mudança da área produtiva, o inventário, enfim, tudo o que ocorre com aquele produto dentro do armazém.

Vantagem do Sistema de gestão de armazéns para a produtividade

Outra vantagem deste sistema é o acompanhamento do desempenho dos colaboradores: o WMS registra qual operador de empilhadeira foi responsável por levar o pallet até o local de armazenamento e quanto tempo foi necessário para realizar a tarefa. Com essas informações, é possível analisar a eficiência de cada operador e operação, qualificando equipes, turnos, família de produtos e o que mais os gestores desejarem saber sobre a operação logística.

Para garantir maior agilidade na separação e expedição dos itens, o WMS classifica as localizações como picking e pulmão. O picking é denominado área nobre, a mais próxima da expedição e de acesso mais fácil. As áreas de pulmão são as secundárias, onde a maior parte do estoque fica armazenada enquanto aguarda o pedido de reabastecimento do picking.

Embora a instalação do sistema possa ser um pouco trabalhosa (necessitando de um cadastro completo dos produtos, com dados logísticos atualizados, além de adequações dos processos internos), as vantagens de migrar para o WMS são inúmeras. Você passa a contar com processos automatizados e integrados, garantindo maior velocidade, produtividade e, consequentemente, lucratividade.

Compartilhe esse artigo nas redes sociais

Quer receber mais conteúdos como este?

Desenvolvido pela